11.7.16

Como fazer uma pausa

Desde que fui mãe que parece que não descanso. Acordo e começo logo com uma série de tarefas impostas pelo facto da criança da casa também ter acordado. É como se tivesse entrado num comboio sem saber quando vou sair. Não há como parar! Depois, há o trabalho. É preciso trabalhar para ganhar dinheirinho para poder viver. Como trabalho em casa, pelo meio vou petiscando qualquer coisa, ponho uma roupa a lavar, trabalho, trato dos bichanos, trabalho, chamada de vídeo-conferência, pago uma conta, trabalho, atendo um telefonema e, bolas!, já são horas de ir buscar a filha. Com ela em casa é mais difícil de fazer seja o que for e, por isso e porque quero, quando ela está, vivo para ela. É assim que tem que ser. Logo, tempo para mim ou para descansar não há.
Quando é que fazemos uma pausa? Porque é que há dias em que nos sentimos exaustos e parece que não fizemos nada? E outros em que tanta coisa aconteceu e nos sentimos tão bem e revitalizadas? Porque nestes dias de certeza que fomos fazendo pausas. Fazer uma pausa pode ter um efeito tão ou mais reparador do que uma sesta. E é mais produtivo. Daí muitas vezes nos sentirmos muito bem apesar de termos tido um dia super cheio porque, afinal, fomos fazendo mini-pausas mesmo nos apercebermos. E é tão fácil parar por um bocadinho para:

- tomar um banho
- ouvir música 
- olhar para o céu 
- telefonar a um amigo
- fazer uma refeição em silêncio 
- fazer uns alongamentos
- fazer festinhas a um cão ou gato
- criar uma pausa para um café 
- ver um vídeo engraçado 
- pôr uma música e dançar 
- dar um passeio na rua 
- escrever num diário 
- dormir uma sesta 
- assobiar
- apanhar ou comprar flores 
- cheirar flores 
- meditar 
- fazer respirações profundas e lentas 
- dar uma corrida 
- pintar 
- ler poesia 
- perdoar alguém 
- escrever uma carta
- ir a um parque
- fazer pequenas boas acções 
- ser grato por algo 
- ... 

Experimentem!




Sem comentários:

Enviar um comentário

.