21.7.16

Cortar unhas a bebés e crianças


Enquanto preparava o enxoval da minha filhota, fui apresentada à tesoura de pontas arredondadas, supostamente ideal para cortar unhas. Aceitei que seria com esse instrumento que lhe cortaria as unhas.
Muitos bebés nascem já com as unhas crescidas, mas não foi o caso da minha. Iam crescendo e, como eram tão finas, partiam naturalmente. Durante uns tempos não precisaram da minha intervenção, até que um certo dia acordou ligeiramente arranhada na cara. Partilhei a minha preocupação com outras mães no facebook e muitas disseram que cortavam as unhas aos seus bebés todas as semanas. Foi o passei a fazer. Procurei a tal da tesoura que, até então, não tinha tido qualquer uso, e reparei que aquilo não era de todo o melhor para cortar unhas a bebés ou a qualquer outra pessoa. Primeiro, é preciso que a unha esteja mesmo enorme e depois, mesmo após o corte, a unha continua enorme. Bebés com unhas enormes... blhéc! Acho mesmo falta de cuidado dos pais. 
Foi então que me lembrei de uma reportagem que vi sobre um casal de cegos que tinha dois filhos. Os dois cegos cuidavam sozinhos dos filhos desde que eram bebés. A única altura em que precisaram de ajuda foi para cortar as unhas do primeiro bebé e iam à farmácia perto de casa. Até que a mãe começou a fazê-lo sozinha. Sentia a unha do bebé e cortava com o corta-unhas. Ora, se dois pais cegos conseguem tratar dos seus bebés e, até cortar-lhes as unhas, também eu conseguiria, já que, felizmente, posso ver.
Fui buscar o corta-unhas mais pequenino que tinha em casa e, desde então, é o nosso melhor amigo. Comecei por lhe cortar as unhas apenas enquanto dormia ou mamava. Assim reduz-se o risco de movimentos bruscos e eventuais cortes. Entretanto, foi crescendo e começou ela própria a esticar os dedinhos, como se estivesse na manicura. Sempre foi um processo muito rápido e muito rotineiro. Gosto que a minha menina ande sempre com as unhas arranjadas e limpas. Escusado será dizer que crianças com unhas compridas vão andar com as unhas sujas de certeza.
Ultimamente, tem-me sido difícil mantê-la com a manicure em dia. Provavelmente, vou ter que regressar ao corte das unhas enquanto dorme. Agora, deixa-me cortar uma unha e a segunda já não consigo. Anda com uma mão meio arranjada e a outra com as unhas compridas. É o caos total. Esta coisa de ser autónoma e estar a conquistar a independência está a tornar-me a vida difícil. Pelo menos, gosta muito de tomar banho. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

.