6.5.16

O regresso ao ginásio

Dois anos e meio depois, regresso ao ginásio.
Antes de engravidar fazia exercício com regularidade: alternava entre yoga, pilates, spinning, musculação, ginástica localizada... Não sou uma pessoa particularmente activa, por isso mexer-me foi sempre algo que fiz com sacrifício. Eu forçava-me a ir para ser o mais saudável possível. Mesmo antes de engravidar, estava a entrar naquela fase do vício. Eu precisava de ir ao ginásio e já estava perfeitamente incluído nas minhas rotinas.
Quando engravidei, sentia-me tão cansada, tão sonolenta, que estava mesmo a ponderar abandonar o ginásio. O obstetra decidiu que era melhor eu parar mesmo com o exercício, tendo em conta que eu tinha 35 anos e era melhor não correr quaisquer riscos. Acedi com satisfação, mas com a promessa de regressar ao ginásio após o parto.
Nestes dois anos após o nascimento da minha filha, fiz várias tentativas de retomar a actividade física. Não tive grandes problemas em perder o peso ganho durante a gravidez, mas este ia flutuando bastante. Foi um período muito difícil. Comecei a trabalhar 1 mês e meio depois do parto, mas fiquei com a minha filha em casa. A prioridade era ela, depois vinha o trabalho e, por fim, eu. A minha alimentação ficou muito afectada, dado que era mais prático comer congelados ou encomendar qualquer coisa. O descanso era muito pouco. Só agora é que a minha filha consegue dormir melhor e, portanto, vi-me e vejo-me privada do sono diariamente. No meu caso, isto faz-me engordar. Com esta roda-viva e cansaço permanentes não me apetecia nada treinar. Bem que tentei... mas era difícil incluir este tempo no meu dia. Mesmo tendo muitos equipamentos em casa, a disposição não ajudava. Depois de uma noite sem descanso e um dia de trabalho, só me apetecia estar com a minha filha. Esta foi a minha decisão e não me arrependo dela. Mais uma vez, ela estava em primeiro lugar e acho que é aí que os nossos filhos têm de estar, sobretudo nos seus primeiros anos. É um investimento para todos.
Acabadinha de fazer dois anos e cada vez mais autónoma, a minha filha também já tem sonos mais prolongados e eu consigo descansar melhor. Senti que, agora, era a hora de eu dedicar mais tempo a mim, também para que todos possamos ganhar com isso. Esta semana, inscrevi-me num ginásio. Levei um plano de treino que um PT elaborou para mim. Esse PT também definiu importantes aspectos alimentares que, em conjugação com o treino, vai ajudar-me a ter uma melhor condição física. Estou super dorida. Apesar do meu objectivo não ser perder peso, porque o meu peso está como antes de engravidar, o meu corpo está flácido. As dores que sinto no corpo ao fim de dois treinos mostram bem como estou fora de forma. Hoje farei o 3º treino da semana.
Espero continuar com esta motivação para cuidar de mim, de nós. A aparência não é tudo, mas a saúde é. Precisamos de ter energia para cuidar dos nossos filhos. Precisamos de saúde para os acompanharmos ao longo da vida.


Sem comentários:

Enviar um comentário

.